Nessun Dorma (2014)

by SKROTES

supported by
/
  • Includes high-quality download in MP3, FLAC and more. Paying supporters also get unlimited streaming via the free Bandcamp app.

     name your price

     

  • Record/Vinyl

    Skrote's first full release, made in Czech Republic, 140-gram white vinyl

    Includes unlimited streaming of Nessun Dorma (2014) via the free Bandcamp app, plus high-quality download in MP3, FLAC and more.
    ships out within 1 day
    edition of 50 

     $25 USD

     

1.
04:40
2.
04:07
3.
02:31
4.
06:20
5.
02:38
6.
05:49
7.
8.
04:41
9.
04:50
10.

about

A faixa de abertura, “TP”, parece primeiro simular hesitação, mas logo fica claro que é momento em que os Skrotes se vêem in-vencíveis. O comecinho tecnopop com funk Guerra nas Estrelas dá lugar à grandiosidade quase clássica nos timbres dos teclados, seguida por uma rápida tranquilidade de um sambinha enfumaçada, antes de voltar às cenas de batalha espacial, agora parecendo mais sinistra.

O tom, cinemático mesmo, não é inter-rompido pela vinheta, que simula um comercial de TV canastrão, no início de “Baixa Ajuda”. Pelo contrário, torna ainda mais visual o reggae cercado por rasantes de aviões e insetos à espreita, como uma patrulha no mato. A história sugerida pelo disco é conturbada e não linear, com paradas, pianos românticos, sons distorcidos de baixo e sintetizadores, funk, discothéque triunfante em que a qualquer momento pode irromper uma briga, mas que na verdade era o tempo todo um saloon de faroeste, como se fosse um sonho.

A desorientação é psicodélica, como a confusão de quando o pensamento começa a mergulhar em si mesmo em ciclos, mas revela novas camadas e texturas a cada vez. Mesmo faixas curtas, como “Dr. Italo”, com pouco mais de dois minutos, passeiam por diferentes motivos musicais.

A abertura do lado B do disco puxa as coisas de volta para a realidade, mas não muito: Abre Alas/Libertonho” traz o vocalista da banda gaúcha Ultramen, Tonho Crocco, lembrando pelo telefone o episódio em que foi processado por gravar um rap contra parlamentares que votaram o aumento do próprio salário. A narrativa de Crocco é tratada com efeitos e acompanhada por uma recriação inspirada no “Libertango” de Astor Piazzolla.

O final feliz só vem mesmo à medida em que “Vou Para Bahia” vai sossegando. Junto com um batuque que parece feito com instrumentos de brinquedo, uma voz infantil anuncia que “a mamãe tá fazendo sopa”. A exclamação que encerra a música e o disco (não vou entregar tanto assim o final) também é nossa.

credits

released January 14, 2014

SKROTES :
Chico Abreu - Bass
Igor de Patta - Keys, Synths
Guilherme Ledoux - Drums

Produced by SKROTES

Recorded @ The Handmade Studio
Recording Mixing Engineer - Beto Fonseca e Julio Lemos
Mastering Engineer - Hugo Ise
Executive Producer - Gustavo Dogo

tags

license

all rights reserved

about

SKROTES Florianópolis, Brazil

Doses contraindicadas de jazz, punk rock, brasilidades e música pop misturam-se numa pegada junkie quase despretensiosa.
///
Non recommended shots of jazz, punk, rock, pop and brazilian rhythms mixed in a junkie almost unpretentious way.
This fusion results in compositions loaded with symbolism, random influences and sensations. A lisergic stroll among the various paths of contemporary musicality
... more

contact / help

Contact SKROTES

Streaming and
Download help